Buscar
  • CEPA Mobility Care

A psicologia como aliada dos motoristas

Atualizado: 23 de mar. de 2021



Já parou para pensar que trânsito seguro é resultado de ações como educação e prevenção?


E que quando falamos em acidente de trânsito também avaliamos sobre a conduta humana?


Tudo isso está ligado diretamente ao emocional, de como lidamos com problemas, imprevistos, congestionamentos e pressões diárias de todos os lados.


Por isso, cuidar da saúde mental dos motoristas é cuidar da sua empresa, respeitando que todos são seres humanos e que precisam de ajuda e orientação.


Quando o emocional está abalado, em desequilíbrio, os riscos de acidentes e mortes durante o tráfego aumentam consideravelmente.


Os acidentes são exemplos do quanto ainda há falhas, sendo o fator humano o principal desafio a ser enfrentado para a segurança nas estradas.


Tanto que a maioria dos acidentes nas vias federais é causada por imprudência e falta de atenção dos condutores, segundo dados do Ministério dos Transportes.


Para se ter uma ideia, mais de 23 mil mortes foram causadas pelo desrespeito às regras de trânsito. Já a falta de atenção resultou em 276 mil feridos e mais de 15 mil mortos entre 2007 e 2016.


Para reduzir esses números tão tristes é necessário entender o trânsito como fenômeno humano, composto por leis e obrigações, comportamentos e problemas.


A psicologia como ciência é uma importante ferramenta na luta por um trânsito mais seguro, colaborando para o bem-estar e bom relacionamento entre todos os atores do trânsito.


Em um cenário tão desafiador, a psicologia tem mostrado que, de maneira eficiente, pode contribuir para diminuir a enorme quantidade de acidentes nas estradas, auxiliando no entendimento e na performance de cada motorista.


Como?


Adotando 5 pilares da inteligência emocional:


o Autoconsciência;

o Controle das emoções;

o Motivação;

o Empatia;

o Controle das emoções com outras pessoas.


Motorista treinado, capacitado e tranquilo também é sinônimo de bons rendimentos e sucesso nos negócios, pois uma pessoa que conhece as suas emoções e consegue controlá-las têm a possibilidade de adotar condutas favoráveis a si mesma e a toda a sociedade.


É preciso entender que o condutor tem família e também outras responsabilidades pessoais, como levar o filho para a escola, por exemplo.


É sobre ter empatia!


Principalmente em um momento delicado pelo qual passamos onde a realidade tem sido desafiadora.


O mundo não para.


As estradas continuam lotadas.


Os motoristas continuam indo e vindo e, agora, com outras preocupações e cuidados pertinentes à pandemia da Covid-19.


Sentimentos de dúvidas, dor, angústia, medo atrapalham uma condução mais segura, dificultando a tomada de decisões corretas.


A inteligência emocional deve ser vista como um aporte para um melhor gerenciamento das emoções, em favor de comportamentos seguros em todos os atores do trânsito.


E, claro, meditar, caminhar ao ar livre, planejar um tempo de lazer também são atitudes que fazem toda a diferença na busca pelo bem-estar e qualidade de vida.


Invista na inteligência emocional da sua equipe, principalmente os condutores, e os resultados serão rapidamente percebidos. Existem programas específicos para isso no CEPA Mobility Care. Conte conosco.


Rosina Cammarota – CEO Cepa Mobility Care

Karina Ciccone - Psicóloga Cepa Mobility Care

62 visualizações0 comentário